Valvulopatias

As válvulas cardíacas regulam o fluxo sanguíneo através das quatro câmaras do coração – duas câmaras circulares pequenas superiores (átrios) e duas câmaras maiores em formato de cone inferiores (ventrículos). Cada ventrículo tem uma válvula de entrada e outra de saída. Cada válvula é composta por abas (cúspides ou folhetos) que se abrem e fecham como portas de um só sentido.

No ventrículo direito, a válvula de entrada é a válvula tricúspide, que se abre desde o átrio direito, e a válvula de saída é a válvula pulmonar (pulmônica), que se abre para a artéria pulmonar.

No ventrículo esquerdo, a válvula de entrada é a válvula mitral, que se abre desde o átrio esquerdo, e a válvula de saída é a aórtica, que se abre para o interior da aorta.

Este corte transversal do coração mostra a direção normal do fluxo sanguíneo.A Look Into the Heart

Alterações associadas ao envelhecimento

Conforme as pessoas envelhecem, as válvulas mitral e aórtica ficam mais espessas. A aorta torna-se mais rígida, o que aumenta a pressão arterial e o esforço sobre a válvula aórtica, de modo que o coração requer oxigênio adicional para bombear o sangue de forma eficaz. Essas alterações relacionadas ao envelhecimento podem provocar sintomas e complicações em idosos com doença cardíaca.

Mau funcionamento da válvula cardíaca

As válvulas cardíacas podem funcionar mal devido a

  • Vazamento (denominado regurgitação, incompetência ou insuficiência)
  • Não abertura adequada e, dessa forma, bloqueio parcial do fluxo de sangue pela válvula (denominado estenose)

Ambos os problemas podem afetar intensamente a capacidade de bombeamento de sangue do coração. Às vezes, uma válvula tem ambos os problemas. Válvulas defeituosas normalmente produzem sopros e outros sons cardíacos anormais que um médico pode ouvir com um estetoscópio. Válvulas defeituosas podem ser identificadas por meio de ecocardiografia. Muitas vezes, pequenos graus de regurgitação não são detectados com um estetoscópio, mas são detectados durante a ecocardiografia. Os médicos costumam considerar esse achado normal.

Em sua maioria, as válvulas defeituosas não apresentam anormalidades graves, e não afetam a pessoa em nada. Os sintomas podem incluir inchaço da perna, falta de ar, palpitações, fadiga, dor torácica e desmaio. Muitas vezes os médicos fazem exames periódicos, pois algumas válvulas defeituosas pioram com o tempo, chegando ao ponto em que a intervenção (reparo ou substituição) é necessária para reduzir os sintomas ou prolongar a sobrevida. Os sintomas não são uma orientação confiável para a existência ou gravidade dos problemas nas válvulas. Portanto, faz-se o ecocardiograma (ultrassonografia do coração) para detectar problemas já no início. Às vezes, os médicos utilizam o teste de esforço para ajudar a monitorar as pessoas com certos distúrbios da válvula cardíaca. Em geral, nem mudanças no estilo de vida e tampouco o tratamento com medicamentos conseguem retardar a deterioração de uma válvula anormal.

Contato:
Dra. Uelra Rita Lourenço

CRM-SP: 88.881
RQE Clínica Médica: 61.415
RQE Cardiologia: 61.416
Agendamento de Consultas:
Telefone: (11) 5547-7850
Site www.saudeurl.com.br
Perdizes – São Paulo-SP