Incidência da “Síndrome do Coração Partido” durante a pandemia por Covid-19

A cardiomiopatia induzida pelo estresse ou síndrome de Takotsubo – que é frequentemente chamada de “síndrome do coração partido” – ocorre quando os músculos do coração enfraquecem, causando dor no peito e falta de ar. Desencadeada por eventos estressantes e não por bloqueios na corrente sanguínea, ela se apresenta como se fosse um ataque cardíaco. Pode ser mortal em casos raros. Os pacientes geralmente se recuperam em dias ou semanas.

 

PANDEMIA, GATILHO DO PROBLEMA .

Pesquisadores da Cleveland Clinic, em Ohio, estudaram pacientes em dois hospitais com problemas cardíacos tratados nos últimos meses e os compararam com pacientes com problemas semelhantes nos últimos dois anos. Os pacientes avaliados durante a pandemia tiveram duas vezes mais chances de ter síndrome do coração partido, de acordo com o estudo, publicado na revista médica JAMA Network Open.

Atenta a este cenário, a Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) iniciou um estudo inédito no país sobre a síndrome de Takotsubo, que vai criar um registro nacional sobre a doença. O mapeamento visa conhecer o perfil epidemiológico da síndrome no país para melhorar o diagnóstico, bem como proporcionar tratamentos mais eficazes e políticas públicas de prevenção à patologia.

“A pandemia por Covid-19 por si só gera grande estresse emocional, como acontece também em situação de guerra. A emergência em saúde devido ao novo coronavírus pode estar aumentando o número de infartos, de crises hiper-tensivas, de pessoas obesas, com ansiedade e depressão, em função de todo o contexto da pandemia, que causa falta de perspectivas e mudança de hábitos. Tudo isso leva a uma condição final de extremo estresse, que é gatilho para o desenvolvimento da síndrome de Takotsubo em indivíduos que têm predisposição genética”, explica o cardiologista Marcelo Westerlund Montera, coordenador do registro nacional da doença da SBC.

 

IMPACTO DO ISOLAMENTO SOCIAL
A Organização Mundial da Saúde (OMS) já havia dado o alerta sobre o impacto do coronavírus na saúde mental. Os médicos consideram que o cenário da pandemia colabora para o aumento de fortes emoções, responsáveis pela síndrome de Takotsubo, cuja primeira descrição foi registrada em 1991, no Japão. O presidente do Departamento de Insuficiência Cardíaca da SBC, Evandro Tinoco Mesquita, indica que o aumento da doença está relacionada ao estresse provocado pela pandemia, “do medo do vírus à perda de emprego”, destaca.

 

PROBLEMA PODE SER FATAL
Mesquita explica que a síndrome do coração partido representa 1% dos casos de infarto e pode ser que muita gente tenha tido a doença durante a pandemia e ficado em casa ou ter ido a óbito por morte súbita. “Por isso é tão importante a visão da SBC de implantar o registro nacional da síndrome de Takotsubo. Ter esse material muito bem documentado e chamar a atenção para o problema”, ressalta


Referências:

https://jamanetwork.com/journals/jamanetworkopen/fullarticle/2768093https://jamanetwork.com/journals/jamanetworkopen/fullarticle/2768093

Jabri A, Kalra A, Kumar A, et al. Incidência de cardiomiopatia de estresse durante a pandemia da doença do coronavírus de 2019. JAMA Netw Open. 2020; 3 (7): e2014780. doi: 10.1001 / jamanetworkopen.2020.14780