Coágulos sanguíneos de fibrilação atrial: sintomas e prevenção

O que é fibrilação atrial?

A fibrilação atrial (AFib) é um tipo de arritmia cardíaca ou batimento cardíaco irregular. Em um coração saudável, o sangue rico em oxigênio se move dos pulmões para a câmara superior esquerda do coração. As câmaras superiores são chamadas de átrios. Os átrios bombeiam o sangue para as duas câmaras inferiores do coração, conhecidas como ventrículos. O sangue dos pulmões é bombeado do átrio esquerdo para o ventrículo esquerdo. O ventrículo esquerdo bombeia o sangue pelo corpo e de volta ao átrio direito, ao ventrículo direito e aos pulmões.

Os impulsos elétricos permitem que cada parte do coração bata no ritmo das outras partes. Se você tem AFib, os sinais elétricos do seu coração ficam desorganizados. Isso faz com que os átrios do coração batam de forma caótica, impedindo o fluxo sanguíneo adequado.

Em alguns casos, o AFib causa complicações potencialmente fatais. Os coágulos sanguíneos são uma das complicações mais comuns. AFib interfere com o fluxo de sangue através do coração. Isso pode fazer com que o sangue se acumule nas câmaras superiores do coração, o que pode causar a formação de coágulos sanguíneos.

Quais são os sintomas de AFib (ou FA) e coágulos sanguíneos?

É possível ter AFib sem sintomas perceptíveis. Se você desenvolver sintomas, eles podem incluir:

  • palpitações cardíacas
  • batimento cardíaco acelerado
  • dor no peito
  • falta de ar
  • tontura
  • fadiga
  • fraqueza
  • suando

Mesmo se você não tiver sintomas perceptíveis, o AFib ainda pode aumentar sua chance de coágulos sanguíneos nas câmaras cardíacas superiores. Se se formar um coágulo sanguíneo, ele pode viajar por todo o corpo. Os seus sintomas dependem de onde o coágulo sanguíneo se aloja depois de se separar. A complicação mais comum de coágulos sanguíneos no coração relacionada ao AFib é o acidente vascular cerebral. Os coágulos sanguíneos geralmente se formam no átrio esquerdo. Se eles se quebram, eles se movem para o ventrículo esquerdo e, em seguida, para a circulação arterial. A anatomia do sistema arterial coloca o cérebro em um caminho direto rio abaixo, onde os coágulos podem se alojar facilmente.

Se um coágulo de sangue bloqueia o fluxo de sangue para o cérebro, ele causa um derrame. Os sintomas podem incluir:

  • dormência ou paralisia de um lado do corpo
  • dificuldade em caminhar ou coordenar seus movimentos
  • problemas para falar ou entender os outros
  • dificuldade em ver
  • dor de cabeça
  • fala arrastada
  • dificuldade em engolir
  • tontura

Se você notar qualquer sinal de derrame, procure ajuda médica imediatamente. O diagnóstico e o tratamento precoces são essenciais.

Os coágulos sanguíneos também podem viajar para outras áreas do corpo. Eles podem causar danos aos tecidos de outros órgãos, incluindo fígado, baço, intestino e rins. Danos ao fígado e baço causados ​​por esses pequenos coágulos de sangue geralmente passam despercebidos. Se um coágulo chega ao intestino, pode sentir dor abdominal, náuseas, vômitos, sangue nas fezes ou febre. Se um coágulo de sangue chega a um rim, você pode sentir dor nas costas, dor ao urinar ou sangue na urina. Em ambos os casos, você deve procurar atendimento médico. Os coágulos podem ser muito pequenos e não causar sintomas.

Como você pode prevenir a formação de coágulos sanguíneos se tiver fibrilação atrial?

Muitos casos de AFib são detectados durante um eletrocardiograma de rotina (EKG). Este é um teste simples que seu médico pode usar para avaliar a atividade elétrica do seu coração. Pode ajudá-los a detectar irregularidades, incluindo AFib.

AFib nem sempre é fatal. Você pode passar a vida inteira sem ter complicações com o AFib. Para diminuir o risco de complicações, siga o plano de tratamento e gerenciamento recomendado pelo seu médico. Isso pode ajudar a prevenir a formação de coágulos sanguíneos.

Remédios

Se você foi diagnosticado com AFib, seu médico pode prescrever anticoagulantes para diminuir o risco de coágulos sanguíneos. Eles também podem prescrever outros medicamentos para ajudar a restaurar a frequência e o ritmo normais do seu coração.

Procedimentos cardíacos

Em alguns casos, o médico pode recomendar a cardioversão elétrica para restaurar o ritmo cardíaco. Seu médico usará pás ou adesivos para aplicar uma corrente elétrica em seu tórax.

Às vezes, seu médico pode não ser capaz de controlar sua frequência cardíaca com medicamentos. A fibrilação atrial tende a fazer com que sua freqüência cardíaca fique muito alta. Os medicamentos de controle de frequência geralmente ajudam a manter sua frequência normal, mas, ocasionalmente, uma dose adequada para manter sua frequência normal também pode resultar em uma frequência cardíaca muito baixa. Uma frequência cardíaca baixa ou flutuação da frequência cardíaca também pode ocorrer sem medicamentos. Essa condição é conhecida como síndrome de taqui-bradi. Nesse caso, você pode ser um candidato à ablação por cateter. Durante este procedimento, o médico passará um cateter fino por uma das veias do coração. A eletricidade é então usada para destruir a área que está disparando muito rápido ou o caminho que permite que os impulsos elétricos viajem dos átrios, onde os impulsos se originam, para os ventrículos.

Tratamento de doenças subjacentes

Seu médico também pode recomendar tratamento para doenças subjacentes que podem estar contribuindo para o AFib. Por exemplo, defeitos cardíacos, doenças cardíacas, anormalidades eletrolíticas, uso e abuso de drogas e álcool, êmbolos pulmonares, problemas de tireoide e infecções podem causar AFib e aumentar o risco de coágulos sanguíneos. Seu plano de tratamento recomendado irá variar, dependendo do seu diagnóstico específico.

Mudanças na dieta e no estilo de vida

Escolhas de estilo de vida saudáveis ​​podem ajudar a prevenir AFib, outras formas de doenças cardíacas e a formação de coágulos sanguíneos. Por exemplo:

  • Faça exercícios regularmente, como caminhar, correr, andar de bicicleta e nadar.
  • Faça uma dieta bem balanceada, limitando a ingestão de sódio, gordura saturada e colesterol.
  • Restrinja o consumo de cafeína e álcool.
  • Evite fumar.

Gerenciando AFib

É possível ter AFib sem desenvolver complicações. Mas, em alguns casos, pode causar a formação de coágulos sanguíneos. Se não forem tratados, esses coágulos sanguíneos podem viajar para outras áreas do corpo e causar sérios danos, sendo o derrame a complicação mais comum e séria.

Se você suspeitar que pode ter AFib ou coágulos sanguíneos, entre em contato com o seu médico. Eles podem ajudar a diagnosticar seus sintomas. Eles também podem ajudá-lo a desenvolver um plano de tratamento para controlar sua condição e reduzir o risco de complicações.