Como reduzir a carga das doenças cardiovasculares?

Medidas muito eficazes que são viáveis para implementação mesmo em ambientes de baixa renda foram identificadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para prevenção e controle de doenças cardiovasculares. Elas incluem dois tipos de intervenções: para a população em geral e em nível individual. Recomenda-se a combinação das duas opções para reduzir a maior carga das doenças cardiovasculares.

Exemplos de medidas para a população em geral que podem ser implementadas para reduzir as doenças cardiovasculares incluem:

  • Políticas abrangentes para controle do tabaco
  • Impostos para reduzir a ingestão de alimentos ricos em gorduras, açúcares e sal
  • Construção de vias para caminhada e ciclismo, com o objetivo de aumentar a prática de atividades físicas
  • Estratégias para reduzir o uso nocivo do álcool
  • Fornecimento de refeições saudáveis para crianças no ambiente escolar.

Em nível individual, medidas de saúde para a prevenção dos primeiros ataques cardíacos e acidentes vasculares cerebrais devem se concentrar primordialmente nas pessoas com alto risco cardiovascular ou nos indivíduos com um fator de risco – como hipertensão e hipercolesterolemia – em níveis que excedam os limites tradicionais. A intervenção baseada no enfoque global é mais rentável que aquela baseada em nível individual e tem o potencial de diminuir substancialmente os eventos cardiovasculares. Esta abordagem é viável na atenção primária em locais com poucos recursos, inclusive por profissionais de saúde que não são médicos.

Para a prevenção secundária de doenças cardiovasculares em pacientes com doença estabelecida, incluindo a diabetes, normalmente são necessários tratamentos com os seguintes medicamentos:

  • Aspirina
  • Beta-bloqueadores
  • Inibidores da enzima conversora da angiotensina
  • Estatinas.

Os benefícios dessas intervenções são em boa parte independentes, mas quando combinados à cessação do tabagismo, é possível prevenir cerca de 75% dos eventos vasculares recorrentes. Atualmente, a aplicação dessas intervenções apresenta grandes deficiências, sobretudo no nível da atenção primária.

Além disso, operações cirúrgicas de alto custo às vezes são necessárias para tratar doenças cardiovasculares, incluindo:

  • Cirurgia de revascularização cardíaca
  • Angioplastia com balão (na qual um pequeno dispositivo em forma de balão é colocado em uma artéria obstruída para reabri-la) 
  • Reparação e substituição da válvula cardíaca 
  • Transplante de coração
  • Implantação de coração artificial

Dispositivos médicos são requeridos para tratar algumas doenças cardiovasculares, incluindo: marca-passo, válvulas protéticas e encaixes para fechar cavidades no coração.

Fale conosco!
Dra. Uelra Rita Lourenço

CRM-SP: 88.881
RQE Clínica Médica: 61.415
RQE Cardiologia: 61.416
Agendamento de Consultas:
Telefone: (11) 99281-7578
Site www.saudeurl.com.br
São Paulo-SP e Osasco-SP

Fonte:

Folha Informativa – Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS)

www.paho.org